Para os Amigos


Saudações da parte do nosso Senhor Jesus Cristo a todos os meus amigos e irmãos que amo.
Sou muito agradecido a Deus por tê-los como amigos e poder chama-los de irmãos. Meu desejo para com vocês é que sempre tenham oportunidade de viver e falar do amor de Deus para com a humanidade.
Nesta semana fui confrontado com uma realidade do evangelho que por tanto fazer e me ocupar a muito estive afastado e que nas oportunidades de que tive neste período me comportei como um expectador. Falava ao meu coração “que já estava fazendo a minha parte” quando na verdade mesmo estando presente me escondia atrás do trabalho...
Fui convidado para ministrar em uma congregação onde as crianças – adultos precoces – alegres sorriam agora em sua “inocência infantil” recém-conquistada, pois nem sempre era assim. Neste lugar o corpo de Cristo, a igreja, não entrava toda a semana, devido a habitual  violência que fazia parte da rotina daquele lugar.
Pelo amor de Deus as coisas estão mudando naquela comunidade periférica. Um pastor movido por Deus se colocou a disposição para enfrentar aquelas condições adversas e vexatórias e com a marca de Cristo e hoje podemos entrar e fazer este relato para todos vocês.
Sei que temos muitos lugares semelhantes á este em nossas cidades. Muitos dos nossos bairros estão de igual forma deplorável. Sei também que iras me dizer que tens orado e assim como eu dirás que tem gente com papeis diferentes no Reino..., e que todas necessitam de atenção, mas não é disto que venho falar aqui.
Na verdade a pergunta que ecoa é o que nós temos feito para transformar a realidade ao nosso redor. Reuniões, encontros,  eventos que falam do poder da igreja local, congressos que nos enchem de ferramentas e mecanismos de ação mas não temos como aplicar ‘porque na semana seguinte tem outro’... Todas estas coisas são boas e agradáveis; não às eliminemos, mas fazer a pergunta é necessário “para que tudo isso?”  
Não perca suas energias em exercícios de piedade, mas se entregue a causa de Cristo. Ouço jovens cantando “eu tenho um chamado”, “eu não necessito ser reconhecido”, “eu preciso ser amigo de Deus” e a Bíblia que norteia nossa fé e praticas diz que aquele que ama Cristo guarda os seus mandamentos e os cumprem e também está escrito que aqueles que cuidam de qualquer um dos pequeninos dando-lhes de comer, beber, vestir visitando nas prisões, orfanatos, suprindo as necessidades destes que pouco ou nada tem o fazem para Cristo.
Não quero com estas palavras ofende-los, mas sim tirá-los da zona de conforto. Saia do comodismo e visite aquele lugar por qual você ora arregace as mangas com as armas que o Senhor tem lhe dado, faça contato com as pessoas que são teus irmãos carentes não só de oração, mas de um abraço um carinho uma atenção física real.

Deus abençoe a todos. Que sejamos sal e luz onde estivermos.